17/12/14

O que é que se dá a quem já tem tudo?

"I thought about giving you a pen, but you already have one. Then I thought about giving you a house, but they are so difficult to wrap..."
A frase é um dos momentos que sei de cor do filme "Música no coração" - e está na altura de passar novamente na televisão, por isso é sempre apropriado.
Há pessoas para quem acho muito fácil comprar prendas. Os pequenitos e alguns grandes. E depois há uns que são difíceis. Já sabemos que as coisas não nos acrescentam, são experiências que devemos procurar e oferecer. Mas no Natal (e nos anos) há uma certa margem para oferecer coisas. E a escolha é difícil.
Just saying...

16/12/14

A história das molas

Quando era pequena se calhar devia ser um bocado snob, porque torcia o nariz ao cesto das molas da casa dos meus pais. Havia molas de todas as cores e feitios e eu achava que as molas deviam obedecer a um qualquer conceito estético. Isto é, tinha de haver uma lógica estética além da sua singela existência funcional de evitarem que a roupa voasse da corda. Por isso, lembro-me de convencer a minha mãe a comprar molas todas iguais, todas da mesma cor e, pelo menos durante um tempo, houve harmonia no cesto das molas.

Em minha casa, hoje, cada mola é de sua nacionalidade.

08/12/14

2015 será Bordeaux

Não adoro a cor, faz-me lembrar de um ano, quando ouvi a expressão pela primeira vez, em que era tudo bordeaux, dos sapatos aos casacos. Marsala é o nome técnico que lhe deu a Pantone, aqueles senhores que gerem códigos de cores.

05/12/14

Em tempo de advento

Não sei em que caderno pautado, em que secretária preta, com as canetas vermelha e verde de quem e, sequer, em que parte do mundo falante de inglês é que esta lista foi feita. Não sei quem fez, mas começou a aparecer no feed do facebook há dois ou três dias. Sem qualquer tentativa de ser lamechas, é das melhores coisinhas que tenho visto nos últimos tempos.